fbpx

Cuidador de idosos: 7 atitudes essenciais para essa carreira!

Atualmente, as famílias com um número cada vez menor de filhos e o envelhecimento da população no geral faz com que exista uma demanda crescente pelos profissionais que atuam como cuidador de idosos.

A profissão é regulamentada pelo Ministério do Trabalho e é uma ótima opção para aqueles que desejam trabalhar com foco nos cuidados e no bem-estar dos seres humanos.

Dentro desse contexto, fizemos este post para apresentar 7 habilidades e atitudes essenciais que um profissional dessa área deve ter. Se você está pensando em seguir essa carreira, acompanhe nosso artigo e saiba mais agora mesmo!

1. Praticar a empatia e o respeito

Seja empático e respeitoso com a pessoa idosa. Todo e qualquer ser humano merece respeito, e quando se trata de um idoso, essa aptidão é mais que necessária.

Se ele precisa de cuidados, significa que conta com uma ou mais limitações e possivelmente está ciente dessas dificuldades. Com isso, pode ficar irritado, nervoso, agressivo e frustrado. Seja empático com seu paciente.

A empatia consiste na capacidade psicológica que o indivíduo tem de compreender os sentimentos e as emoções de outro ser humano, se colocando no lugar dele e tentando sentir o que ele pode estar sentindo.

Portanto, é de extrema importância para o cuidador de idosos, saber lidar com as reações do sujeito, não levando para o lado pessoal ou criando uma relação de desrespeito e agressividade mútua.

2. Ser paciente

A velhice pode deixar o idoso deprimido e fazer com que ele se sinta incapaz de realizar as atividades. Outro ponto importante a ser destacado é que muitos ficam carentes por não terem tanta atenção da família.

A rotina agitada dos familiares pode causar a sensação de abandono, que sentirá cada vez mais a necessidade de conversar, desabafar e contar histórias do passado.

Seja paciente! Ouça as histórias com carinho, sensibilidade e respeito, dê uma atenção especial mesmo que ele esteja sendo repetitivo. Já dizia o ditado: paciência é uma virtude!

3. Saber identificar sinais e sintomas de problemas de saúde

Na terceira idade, toda doença representa um risco à vida da pessoa. Por isso, o cuidador de idosos precisa estar atento e observar toda e qualquer alteração que um paciente pode sofrer.

Oscilações repentinas de humor, inchaços ou hematomas pelo corpo, mudanças bruscas de apetite, entre outras situações atípicas devem ser prontamente informadas aos responsáveis.

O ideal é que o profissional consiga identificar os sintomas relativos a cada problema de saúde, assim vai poder repassar as informações de maneira mais precisa, prestar os primeiros socorros e saber exatamente a quem recorrer ou como proceder no caso de uma emergência.

4. Respeitar a privacidade

Se uma família contrata um cuidador, significa que o idoso possui algum tipo de dificuldade que o impede de ter uma rotina desacompanhada.

Entretanto, isso não quer dizer que uma pessoa que resolve seguir esse caminho profissional vai se deparar apenas com indivíduos incapazes de realizar sozinhos as tarefas íntimas e pessoais, como ir ao banheiro, ou simplesmente se relacionar socialmente.

Respeite a privacidade do seu paciente. Passeie, estimule o contato com outras pessoas, deixe que ele desenvolva as atividades que ainda é capaz sem manipular as conversas ou controlar cada passo. Essas são questões fundamentais para manter a saúde mental do idoso.

5. Ser resiliente

A resiliência é a capacidade que um ser humano tem de se adaptar às mudanças, lidar com as adversidades da vida, vencer obstáculos e suportar a pressão.

Quem deseja ser um cuidador de idosos, deve condicionar a mente a ser resiliente, pois, vai ter que lidar com diferentes estruturas familiares, sociais, problemas de saúde e personalidade do paciente.

Cada ambiente e cada pessoa possui um padrão de comportamento próprio e individual, sendo assim, é fundamental que o profissional saiba como proceder mediante as mais variadas situações.

6. Ter proatividade no trabalho e estimular as relações sociais

Um profissional proativo é aquele que pensa e age por antecipação, adotando estratégias para resolver ou evitar os problemas que podem acontecer futuramente.

Quando falamos da saúde mental do idoso, estimular as relações sociais é necessário, e parte do cuidador de idosos a iniciativa de realizar essas atividades, como, por exemplo:

  • organizar a rotina para passear e tomar sol em horários adequados;

  • levar o idoso para o teatro ou ao cinema, se a condição dele permitir, para assistir peças e filmes que estimulem o prazer de viver;

  • incentivar novos hábitos, como a leitura;

  • acompanhar o paciente em práticas direcionadas a terceira idade.

É importante também prever as situações em que a pessoa que está sob a responsabilidade do profissional pode passar mal, precisar de cuidados especiais com o transporte e com a higiene básica.

Um indivíduo que se locomove por cadeira de rodas ou usa fraldas pode se sentir frustrado e se negar a realizar outras atividades caso o local não tenha acessibilidade ou um espaço adequado para fazer a higiene, causando um efeito reverso nas tentativas de socialização e novas experiências.

7. Manter-se atualizado

O estímulo às relações sociais também pode ser feito por meio de programadas de socialização e lazer destinados à pessoas idosas.

Esteja sempre inteirado do que está acontecendo no seu município e na região, peça permissão aos responsáveis para acompanhar o paciente ou deixe-os informados e atualizados sobre essas questões para que possam desempenhar esse papel. As atualizações como profissional também deve ser praticadas, como em qualquer outra profissão.

Fique atento aos cursos sobre a atuação do cuidador de idosos, novas técnicas que podem ser aplicadas no trabalho e não esqueça dos treinamentos e palestras direcionadas ao desenvolvimento das habilidades psicológicas — por exemplo, as que foram citadas ao longo do texto, como a empatia e a resiliência — que são necessárias para lidar com essas pessoas.

Como você pôde perceber, um cuidador de idosos precisa trabalhar em si mesmo a serenidade, a paciência e estar fortalecido psicologicamente, ter vocação e sensibilidade para lidar com pessoas além de se manter atualizado como todo profissional.

Esse conteúdo foi útil para você? Ficou com alguma dúvida ou conhece alguém interessado em seguir na profissão de cuidador de idosos? Então deixe um comentário, teremos prazer em ajudar nessa jornada. Até breve!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Conhecer Escola Técnica

Há mais de 20 anos formando pessoas para o mercado de trabalho

Somos uma escola técnica referência em formação profissional na área de saúde, formando cidadãos para a vida, profissionalizando-os e promovendo o conhecimento com responsabilidade social.

Últimas postagens

Conheça nossos cursos

Curta nossa página no Facebook

gostaria de saber o valor do curso?

Deixe eu e-mail e telefone que enviaremos todas as informações

FAÇA SUA inscrição 100% ONLINE

Skip to content